TRICOT stories
  0
  •  
  0
  •   0 comments
Share

marianabenevide
marianabenevideCommunity member
Autoplay OFF  •  4 months ago
Ao fazer uma última visita antes de vender a casa onde cresceu, Paula descobre um segredo que mudará as perspectivas que têm sobre sua família.

Música: Naquela Mesa –Nelson Gonçalves https://www.youtube.com/w...
By: Mariana Benevides

TRICOT por Mariana Benevides

Paula passou os dedos nos móveis empoeirados.

Paula passou os dedos nos móveis empoeirados. Estava na sala quase vazia dos avós, cercada de homens que trabalhavam na mudança final da casa.

Olhava para o espaço como se tivesse 8 anos novamente.

Brincava com o castelo de madeira que o avô lhe fizera enquanto a vó sentava na cadeira de balanço, supervisionando os netos.

Quando a matriarca, exímia bordadeira, faleceu em 2014, seu avô insistiu em não deixar a casa.

Quando a matriarca, exímia bordadeira, faleceu em 2014, seu avô insistiu em não deixar a casa. Paula chegou a morar com Seu Nelson por um ano e meio, até seu falecimento em março de 2017.

Dois anos após a sua morte, chegava o momento de ter coragem e vender o espaço.

Dois anos após a sua morte, chegava o momento de ter coragem e vender o espaço. As despesas da casa vazia já começavam a apertar o bolso de Paula e dos primos, ainda jovens.

Dois anos após a sua morte, chegava o momento de ter coragem e vender o espaço. As despesas da casa vazia já começavam a apertar o bolso de Paula e dos primos, ainda jovens. Do Rio de Janeiro, ela coordenava a mudança em nome da família.

Presa em lembranças, Paula foi trazida de volta ao presente por um dos rapazinhos responsáveis pela mudança.

Presa em lembranças, Paula foi trazida de volta ao presente por um dos rapazinhos responsáveis pela mudança. Havia finalmente encontrado a chave de um baú enorme, de madeira negra e antiga, retirado do escritório do avô.

Presa em lembranças, Paula foi trazida de volta ao presente por um dos rapazinhos responsáveis pela mudança. Havia finalmente encontrado a chave de um baú enorme, de madeira negra e antiga, retirado do escritório do avô. Descoberta acidentalmente, a chave caiu do fundo falso de uma gaveta da escrivaninha.

A curiosidade era gigante.

A curiosidade era gigante. Ela comemorou e agradeceu ao rapaz.

A curiosidade era gigante. Ela comemorou e agradeceu ao rapaz. Afinal, o tal baú era uma das únicas coisas que Nelson jamais permitiu que alguém chegasse perto.

A curiosidade era gigante. Ela comemorou e agradeceu ao rapaz. Afinal, o tal baú era uma das únicas coisas que Nelson jamais permitiu que alguém chegasse perto. Nem mesmo Paula, com quem tinha uma relação tão próxima.

Ao pegar a chave nas mãos, não conseguiu esconder o nervosismo.

Ao pegar a chave nas mãos, não conseguiu esconder o nervosismo. Pensou se descobriria algo que preferia não saber sobre o avô.

Ao pegar a chave nas mãos, não conseguiu esconder o nervosismo. Pensou se descobriria algo que preferia não saber sobre o avô. Questionou-se até se ele seria capaz de ter uma segunda família ou uma coleção assustadora de revistas pornográficas.

Paula pediu licença para ficar sozinha no escritório – no quarto, só sobrava o baú.

Paula pediu licença para ficar sozinha no escritório – no quarto, só sobrava o baú. O peito apertou ao ver aquele espaço tão diferente, o móvel tão solitário embaixo da janela.

Colocou a chave no baú e, com um pequeno 'clec', a fechadura logo cedeu.

Colocou a chave no baú e, com um pequeno 'clec', a fechadura logo cedeu. Levantou a tampa.

Colocou a chave no baú e, com um pequeno 'clec', a fechadura logo cedeu. Levantou a tampa. O coração parecia subir para a garganta.

Suéteres, roupas de criança e meias bordadas pela metade quase pulavam para fora do baú, como se estivessem a aguardar aquele momento por muito tempo.

Suéteres, roupas de criança e meias bordadas pela metade quase pulavam para fora do baú, como se estivessem a aguardar aquele momento por muito tempo. O baú estava lotado de tricot.

Suéteres, roupas de criança e meias bordadas pela metade quase pulavam para fora do baú, como se estivessem a aguardar aquele momento por muito tempo. O baú estava lotado de tricot. O volume era tanto que, em um primeiro momento, Paula acreditou que não conseguiria fechar o baú novamente.

Confusa e ressentida, perguntou–se por que o avô havia se recusado por tanto tempo a mostrar-lhe as roupas não terminadas da sua avó.

Foi somente quando encontrou dentro do baú diversos caderninhos de estampa de couro, que entendeu.

Todas as roupas estavam organizadas por data, nome do neto ou bisneto que seria presenteado, tamanho e técnica utilizada.

Todas as roupas estavam organizadas por data, nome do neto ou bisneto que seria presenteado, tamanho e técnica utilizada. A última entrada? Fevereiro de 2017.

Todas as roupas estavam organizadas por data, nome do neto ou bisneto que seria presenteado, tamanho e técnica utilizada. A última entrada? Fevereiro de 2017. Um mês antes do falecimento de Nelson.

Com o caderno em mãos e a constatação de que nunca tinha visto de fato sua vó bordar, Paula chorou.

Com o caderno em mãos e a constatação de que nunca tinha visto de fato sua vó bordar, Paula chorou. Em todas as páginas, a letra era de Nelson.

TRICOT

Stories We Think You'll Love 💕

Get The App

App Store
COMMENTS (0)
SHOUTOUTS (0)